Podcasting - e estreia do .meiosp3

03/07/2019

No mês passado estreamos nosso podcast - o .meiosp3!

Nas plataformas Soundcloud, Spotify e Deezer, estamos expandindo o alcance do nosso conteúdo também no áudio, para quem está no trânsito, naquele retorno do trabalho ou mesmo arrumando a casa.

O .meiosp3 tem sua própria programação, que além dos textos aqui do site, conversa em outras linguagens como a jornalística e literária.

Para não perder nenhum dos nossos envios, siga os perfis nas plataformas acima e também no Instagram da Meios.

O texto abaixo está disponível em áudio no seguinte player.

A paternidade radiofônica do podcasting é um dos mais humanos DNA's no qual se expressa todo o darwinismo comportamental da sociedade.

Vivemos em um Era de profundas transformações tecnológicas. O que em outras épocas levava décadas para evoluir ou simplesmente mudar, hoje parece se reinventar em meses. O Rádio, isto é, a transmissão de informação por meio do áudio, se mantém desde Tesla e Roberto Landell no final dos anos 1800; adaptando-se e negando todo tipo de "está fadado ao fracasso" - como se ameaça constantemente nossa querida televisão.

Aproveitando-se da citação biológica mais acima, é interessante perceber que a audição é uma característica das primeiras a serem executadas por um ser humano. Na barriga, o feto nada enxerga, mas já escuta desde os primeiros meses as batidas do coração da mãe e depois sons mais externos. Escutar, então, é um comportamento ancestral de uma vida inteira.

Retomando os conceitos tecnológicos em sociedade, para o filósofo da comunicação Marshall McLuhan, "o meio é a mensagem". A conhecida frase para quem já se interessou nos processos midiáticos nada mais define que: não importa o que é dito, mas como é dito. Os efeitos da comunicação não está reservado ao discurso, portanto, e sim ao mecanismo - transitório, que este roteiro será disseminado. A sentença permite entender, ainda, que o comportamento das pessoas vai informar o que aquela tecnologia significa - pegue da memória que, antes da televisão, o rádio por torres de transmissão tinha lugar destacado na casa para que a família se reunisse durante a radionovela. À pilha e com alcance maior que a TV. Depois, nos carros, e nem sempre por torres - temos satélites. Breve, o rádio nos telefones celulares até o atual podcast de smartphones.

O princípio de McLuhan se relaciona à outro, o da tecnopofagia - quando se entende que as tecnologias não morrem e nem deixam de existir, mas sim são sempre engolidas por outras em processos puramente humanos que, em geral, são percebidos anos depois da digestão. Os modelos de consumo da informação se alteram - do rádio ao podcast, da TV ao on demand, dos impressos ao digitados, e lutar contra isso é se prender ao desumano ato de não mudar, não evoluir.

Neste Dia Mundial dos Meios de Comunicação, a Agência Meios está estreando seus canais de podcasting no Spotify, Deezer e Soundcloud. Lá serão lançados programas segmentados e não segmentados, trazendo assuntos interessantes do universo digital e comunicacional, bem como debates dos mais necessários nos dias de hoje, bem como nossos conteúdos em áudio. Nos siga e em breve traremos as novidades entre os ouvidos!